Conheça os 8 maiores tenistas brasileiros da Era Aberta

Conheça os 8 maiores tenistas brasileiros da Era Aberta

Muito se engana quem pensa que o tênis é um esporte pouco tradicional no Brasil! Apesar de só termos alcançado a primeira posição no ranking da ATP com Gustavo Kuerten, antes dele alguns atletas conquistaram vitórias e títulos que os fizeram deixar sua marca na história do esporte. Passando por nomes como Jaime Oncins e Tomaz Koch, nosso país formou grandes praticantes do esporte, capazes de marcar época.

A nossa Maria Esther Bueno, por exemplo, é tida como uma das maiores jogadoras de todos os tempos, sendo considerada a melhor do mundo nos anos de 59, 60 e 64 pela Federação Internacional — ou seja, antes da criação do ranking da ATP, em 1968. A época após a instituição do ranking é conhecida como Era Aberta e, no post de hoje, vamos apresentar os maiores tenistas brasileiros desse período. Confira!

Carlos Kirmayr

Muito mais do que treinador da argentina Gabriela Sabatini, Kirmayr tem em seu currículo um 36º lugar no ranking da ATP, obtido no auge de sua carreira em 1981. O paulistano alcançou resultados interessantes como a classificação para as oitavas de final no Aberto da França em 1981, a terceira rodada em Wimbledon no mesmo ano e, em 1976, e a segunda rodada no US Open de 1983.

Jaime Oncins

Pouco antes do início da era Guga, o Brasil depositava sua torcida no talento do paulistano Jaiminho. Mais precisamente nas Olimpíadas de Barcelona, em 1992, quando ele chegou a uma etapa da disputa pelo bronze. Jaiminho foi um dos grandes atletas do país na primeira metade dos anos 90, chegando à 34ª colocação no ranking mundial em 1993.

Niege Dias

Depois de Maria Esther Bueno, Niege Dias pode ser considerada a tenista brasileira mais bem sucedida entre as mulheres. Chegando a ocupar a 31ª posição no ranking em 1989, a atleta avançou até a terceira rodada de Roland Garros em 1989.

Marcos Hocevar

Hocevar tem seu nome eternizado na história do tênis brasileiro. Chegando a ocupar a trigésima posição no ranking da ATP em 1983, o atleta ficou marcado negativamente por sofrer o primeiro golden set da história quando perdeu por 6 a 0 para Bill Scanlon no WCT Gold Coast Classic. Mesmo assim, ele foi um dos grandes atletas do país no início dos anos 80.

Luiz Mattar

Mais voltado para torneios nacionais, Luiz Mattar também conquistou interessante convocação no ranking da ATP. O 29º lugar em 1989 projetou a carreira do paulistano na segunda metade dos anos 80 e início dos 90.

Fernando Meligeni

O nosso “Fininho”, como é conhecido, na verdade sequer nasceu no Brasil. Argentino de origem, ele escolheu nosso país para defender e o fez com louvor. Conhecido por seu espírito de luta, Meligeni esteve por boa parte de sua carreira entre os melhores do mundo, atingindo em 1999, no ápice da carreira, a posição de número 25.

Thomaz Koch

O talentosíssimo tenista gaúcho marcou época com seus cabelos longos nas quadras de tênis. Mas muito além disso, Koch era habilidoso e chegou ao posto de número 24 do ranking da ATP, entre as décadas de 60 e 70.

Gustavo Kuerten

Todos os tenistas anteriores têm sua indiscutível importância. Entretanto, foi Gustavo Kuerten quem estabeleceu o ápice do Brasil na Era Aberta. Bicampeão em Roland Garros, entre outros títulos de expressão, o catarinense chegou ao posto de número um do mundo em 2000 ao derrotar Pete Sampras e Andre Agassi no Masters Cup de Lisboa daquele ano.

E então, gostou de saber mais sobre os melhores tenistas brasileiros da Era Aberta? Quais são os atletas que você mais admira neste esporte? Quais brasileiros você acompanha atualmente? Deixe seu comentário e conte pra gente?

Foto: bit.ly/557.ref

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *