Foto: Divulgação

Santa Cruz empata em 1 a 1 com o Internacional e evita rebaixamento matemático nesta rodada

Tricolor jogou todo o segundo tempo com um homem a mais após expulsão de Eduardo Henrique, no Beira-Rio, mas não conseguiu virada e ainda sofreu pressão

O Santa Cruz se nega a morrer na Série A do Brasileiro. O decreto matemático do rebaixamento poderia ter vindo neste sábado. Bastava o Tricolor perder do Internacional e o Coritiba pontuar contra o Botafogo, no Rio de Janeiro. Mas apenas o segundo evento se concretizou, e o time coral conseguiu adiar a oficialização da sua queda à Segundona. O empate em 1 a 1 com o Internacional, em pleno Beira-Rio, ainda quebrou uma sequência de sete derrotas da equipe pernambucana e foi capaz de tirá-la, provisoriamente, da lanterna do campeonato.

A torcida colorada compareceu em bom número ao Beira-Rio para apoiar um Interacional que luta ainda para se manter fora da zona de rebaixamento. Comandado por Adriano Teixeira depois de o técnico Doriva ter deixado o clube ao perder do Botafogo na rodada passada, o Santa Cruz se mostrou, de início, o mesmo da maior parte de sua trajetória na Série A: inerte na defesa, improdutivo em um meio-campo que agora contava com Léo Moura e apenas esforçado no ataque.

O Santa acabou sendo vazado pela primeira vez bem cedo, com seis minutos de partida. Tiago Cardoso não contrariou o seu histórico recente de falhas e errou novamente. Espalmou mal uma cabeçada fraca, que foi parar nos pés de William. Ele cruzou à meia altura, o goleiro coral também foi incapaz de interceptar a bola e Vitinho teve apenas o trabalho de completá-la para as redes: 1 a 0. O gol sofrido não tirou o Tricolor de um posicionamento retraído. A equipe visitante não finalizou uma vez sequer até os 30 minutos.

O Inter tinha o jogo sob controle. Porém, aos 31, um lance pontual produzido pelo Santa acabou em gol. Vitor achou Léo Moura, sozinho. O veterano testou a bola e empatou. Após o gol, o time pernambucano melhorou sensivelmente. Foi premiado ainda com a expulsão do colorado Eduardo Henrique, aos 40 minutos. Com um homem a mais em campo, os corais tinham bem mais espaço para construir suas jogadas no segundo tempo. Mas não aproveitavam as brechas como deveriam e deixavam também a equipe do Rio Grande do Sul incomodá-los.

Pouco a pouco, com jogadores com qualidade técnica mais apurada, o Inter foi tomando conta do jogo durante a etapa final. Esboçou até uma pressão sobre o Santa, que raramente se expunha para atacar, viu Tiago Cardoso evitar que o adversário voltasse a ficar na frente no placar e ainda assistiu a um gol impedido, de Eduardo Sasha. Adriano Teixeira tentou reverter esse panorama e colocou mais um atacante no time, Arthur. Pouco mudou. Empurrados por mais de 40 mil torcedores no estádio, os gaúchos seguiram com mais volume. Jadson perderia ainda a grande chance da virada do Tricolor.

Santa Cruz
Tiago Cardoso; Vitor (Arthur), Neris, Luan Peres e Roberto; Derley (Wellington Silva), Jadson, João Paulo (Mazinho) e Léo Moura; Keno e Grafite. Técnico: Adriano Teixeira (interino).

Internacional

Danilo Fernandes; Ceará, Paulão, Ernando e Geferson; Fabinho, Eduardo Henrique, William e Alex (Anderson); Vitinho (Valdívia) e Eduardo Sasha (Aylon). Técnico: Celso Roth.

Estádio: Beira-Rio (Porto Alegre-RS). Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO). Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Fabiano da Silva Ramires (ES). Gols: 6’ do 1T (Vitinho, Inter), 31’ do 1T (Léo Moura, Santa). Cartões amarelos: Eduardo Henrique, Fabinho e William (Internacional); Luan Peres, João Paulo (Santa Cruz). Cartão vermelho: Eduardo Henrique (Internacional). Público total: 40.114

Fonte

cta_finalpost_santacruz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *