Foto: Divulgação

Santa Cruz empata com o Náutico e garante classificação à seletiva do Nordestão 2018

Em jogo fraco tecnicamente, tricolores e alvirrubros ficaram no empate no Arruda em 1 a 1; como os corais venceram na ida, ficaram com a vaga

Não foi propriamente um Clássico das Emoções como o nome sugere. Na verdade, longe disso. Com um Arruda às moscas (apenas 3.387 torcedores) e dois times bastante limitados tecnicamente, coube ao Santa Cruz fazer valer a vantagem construída no jogo de ida (2 a 1 na Arena). O empate em 1 a 1 com o Náutico, na noite desta terça-feira, foi o suficiente para garantir o terceiro lugar do Campeonato Pernambucano e a consequente classificação à seletiva para o Nordestão 2018, marcada para acontecer no próximo mês de julho. O Timbu, por sua vez, está fora do regional do próximo ano.

Os gols da partida foram marcados por Everton Santos, ainda no primeiro tempo, e Anselmo, na etapa final. As duas equipes agora voltam as atenções agora novamente para a Série B, ambos jogando no sábado. O Santa Cruz irá receber o Guarani, no Arruda; enquanto o Timbu vai a Santa Catarina enfrentar o Figueirense.

O jogo

Apesar da baixa qualidade no futebol, Santa Cruz e Náutico fizeram um primeiro tempo bastante movimentado. Com o técnico Vinícius Eutrópio optando por utilizar um time praticamente todo composto por reservas (à exceção do zagueiro Bruno Silva), coube ao Timbu, precisando reverter o placar adverso no jogo de ida, a iniciativa de partir para o ataque. Os alvirrubros tiveram maior posse de bola, construíram mais jogadas, porém, sofrendo com o processo de reformulação da equipe, acabaram esbarrando nas próprias pernas e terminaram a etapa com o placar adverso.

Aos sete minutos, o primeiro lance de perigo. Cal cobrou falta e a bola passou Tiago Alves e Alison pedindo para entrar no gol. Jefferson Nem, Darlan e Rodrigo Souza chegaram com perigo em jogadas seguintes – sendo os dois últimos, volantes, os homens surpresas do frágil ataque timbu. A resposta coral veio aos 20: Após grande passe de Wilian Barbio, que rasgou a defesa, Everton Santos saiu de frente com o goleiro e parou em Jefferson. A partir de então, o jogo ficou mais equilibrado, mais aberto, com as duas equipes se expondo mais e errando proporcionalmente da mesma forma.

Etapa final

No segundo tempo, a configuração da partida não sofreu mudanças. Náutico com maior posse de bola e mais disposto em ir ao ataque. A maneira pouco organizada, porém, era presa fácil para a defesa tricolor. Aos 8, a melhor chance timbu: cruzamento milimétrico de David e Alison desperdiçou uma chance incrível. A resposta veio dois minutos depois, após cabeçada com perigo de Pitbull, que acabara de entrar. Aos 26, foi a vez de Maylson fazer bela jogada e parar em Jacsson.

De tanto insistir, o Náutico chegou ao empate aos 38 minutos. Cruzamento de Manoel para Anselmo subir mais alto que Bruno Silva. Jacsson deu rebote e o próprio Anselmo empurrou para as redes. O gol deu uma sobrevida e novo ânimo ao Timbu, que lutou até o fim em busca do gol que levaria a decisão para os pênaltis. Bem postado na defesa, o Tricolor evitou novos sustos e garantiu a classificação.

Ficha técnica

Santa Cruz 1
Jacsson, Nininho, Bruno Silva, Jaime e Tiago Costa; Wellington Cézar, Gino e Pereira (Halef Pitbull); André Luís (Thomás), Éverton Santos e Wilian Barbio (Thiago Primão).Técnico: Vinícius Eutrópio.

Náutico 1

Jefferson; David, Tiago Alves, Nirley e Manoel; Darlan, Rodrigo Souza (Jefferson Renan), Cal (Maylson), Jefferson Nem e Erick (Anselmo) e Alison. Técnico: Waldemar Lemos.

Local: Arruda (Recife-PE). Árbitro: Luiz Cláudio Sobral(PE). Assistentes: Clóvis Amaral da Silva (PE) e Charles Rosas Pires (PE). Gols: Everton Santos (46’ do 1ºT) (S); Anselmo (38’ do 2ºT) (N). Cartões amarelos: Thomás (S); Nirley, Rodrigo Souza, Manoel, Alison, David (N) Público: 3.387. Renda: R$ 20.960.
Mais incisivo, o Timbu seguiu ameaçando. Aos 31, 34 e 45, Nem (duas vezes) e Cal assustaram Jacsson. A estratégia tricolor de apostar nos contra-ataques foi coroada já nos acréscimos. Aos 46, Pereira lançou Everton Santos, que dessa vez não desperdiçou: 1 a 0. Os jogadores do Náutico se queixaram de falta em Erick na origem da jogada, mas em vão. À essa altura, os alvirrubros precisariam virar o jogo para levar a disputa para os pênaltis.

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *