Foto: Divulgação

River Plate perde em casa, e Atlético-MG tem a melhor campanha da Libertadores

O River Plate tinha tudo para terminar a primeira fase da Copa Libertadores da América na liderança geral. Diante de seus torcedores no estádio Monumental de Nuñez, a equipe, já classificada e até então invicta, recebeu o Independiente Medellín pela sexta e última rodada do grupo 3. Mais do que os três pontos, a vitória também seria uma homenagem aos 116 anos do clube, comemorados justamente nesta quinta-feira.

Mas, faltou combinar com os colombianos. Se o jogo pouco valia para os argentinos, o time de Medellín entrou em campo disposto a lutar pela segunda vaga e acabou batendo os donos da casa por 2 a 1. Porém, no fim, como o Emelec fez o dever de casa e superou o Melgar por 3 a 0 em partida simultânea, os equatorianos acabaram classificados.

Dessa forma, quem se deu bem foi o Atlético-MG. Um simples empate do River Plate tiraria os mineiros da liderança geral. Com o revés, os brasileiros seguem no topo da Libertadores, com os mesmos 13 pontos do River, mas com o saldo de gols melhor.

À frente dos argentinos ainda ficou o Lanús, que acabou herdando os pontos tirados da Chapecoense, e o Grêmio, que goleou o Zamora-VEN. O Palmeiras também passou com 13 pontos, mas atrás dos rivais no critério de desempate.

Ao Independiente ficou a frustração. O time conseguiu a difícil tarefa de acabar com a invencibilidade do River Plate no torneio, mas ‘morreu’ com nove pontos, um a menos que o Emelec. O Melgar, lanterna do grupo 3, se despediu da competição com apenas três pontos ganhos.

E olha que a noite tinha tudo para ser apenas de festa para os argentinos. Embalados pelas homenagens ao aniversário do clube, os jogadores do River partiram para cima do adversário e conseguiram um pênalti já aos dois minutos de jogo. Auzqui foi puxado por Valência e o árbitro brasileiro Raphael Klaus não titubeou. Na cobrança, Alario bateu no meio e González defendeu com o pé.

O castigo veio também aos dois minutos, mas da etapa final do jogo. Valência, pivô da penalidade, dessa vez foi ao ataque e serviu Hernández, que não desperdiçou a oportunidade e abriu o placar. Sete minutos depois, escanteio para os visitantes e Mosquera aumentou a vantagem.

O River só conseguiu reagir aos 37. Driussi fuzilou, González defendeu, a bola foi no travessão e acabou sobrando limpa para Arturo Mina diminuir e colocar fogo no jogo. A essa altura, o empate estaria de bom tamanho para o River Plate, que assim terminaria a primeira fase na ponta e invicto.

A pressão foi grande, mas ineficaz. Raphael Klaus ainda levou o jogo até os 49, mas o Independiente se segurou atrás e se despediu da Libertadores sem a vaga, mas com o gostinho de ter vencido um grande rival fora de casa. Melhor para o Atlético-MG.

Agora, um sorteio definirá os confrontos da próxima fase. É certo ao menos que os argentinos farão o segundo jogo em casa, enquanto o Emelec terá de abrir seu duelo no Equador.

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *