Macaé encaminha fim de maratona exaustiva

Macaé encaminha fim de maratona exaustiva

Na sexta-feira da semana retrasada, dia 3 de julho, o Macaé deu início a uma maratona que só será encerrada nesta terça, quando a equipe entra em campo para enfrentar o Mogi Mirim, pela 13ª rodada da Série B do Brasileirão. Esse será o quarto jogo do time alvianil no pequeno intervalo de 10 dias. Por isso mesmo, as palavras “desgaste” e “cansaço” estão sendo ouvidas ouvidas com certa frequência no dia a dia do clube.

Depois da vitória eletrizante sobre o Paysandu, no último sábado, o elenco se reapresentou no domingo de manhã para uma atividade regenerativa no CT da Fazendinha e recebeu folga na parte da tarde. Às 8h desta terça, a delegação sai de Macaé rumo ao Rio de Janeiro, onde embarcará no voo que a levará para São Paulo.

Ao fim desta maratona, o Macaé terá percorrido mais de 5 mil quilômetros – levando em conta as viagens de ida e volta para as cidades de Natal e Mogi Mirim. Tanto no duelo contra o América-MG quanto no encontro com o Mogi, o técnico Marcelo Cabo teve tempo de comandar apenas um treino no intervalo entre as partidas.

Ainda assim, o Leão tem demonstrado que a força e qualidade do elenco podem driblar esses empecilhos. Contra o ABC e o Coelho, a vitória não aconteceu por mero detalhe – em Natal, o adversário teve um pênalti nos minutos derradeiros. Foram cinco pontos conquistados nas três últimas partidas, quatro gols marcados, três sofridos e a proximidade do grupo dos quatro primeiros colocados mantida: o time está em oitavo, com 21 pontos, três atrás do Náutico, quarto colocado.

No empate com o América-MG, Marcelo Cabo bateu na tecla do cansaço, embora não tenha atribuído o resultado ruim em casa totalmente a ele. Já contra o Paysandu, o detalhe acabou sendo ofuscado pela vitória emocionante, com um pênalti perdido pelo adversário aos 45 minutos do segundo tempo e Pipico marcando o gol da vitória dois minutos depois.

O duelo contra o Mogi Mirim, lanterna da Série B, é nesta terça, às 19h30, no Estádio Romildão.

Fonte:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *