Foto: Divulgação

Jornalista destaca evolução do sistema defensivo do Atlético-MG: “Eficiente”

Henrique Fernandes diz que o Galo não deixou o Cruzeiro criar muitas oportunidades dentro da área. Alvinegro joga pelo empate no segundo jogo para ficar com o título

Cruzeiro e Atlético-MG empataram por 0 a 0 neste domingo, no Mineirão, no primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro. Por ter sido o melhor da primeira fase, o Galo entrará em campo na próxima semana, no Independência, com a vantagem do empate para ficar com o título. Comentarista do SporTV, Henrique Fernandes elogiou a postura do time comandado por Roger Machado no terceiro duelo entre os clubes nesta temporada, o primeiro que não terminou com vitória da Raposa. De acordo com o jornalista, o Alvinegro, ciente da vantagem que tem, mudou a sua forma de atuar e valorizou o seu sistema defensivo, dando poucas oportunidades ao seu rival de finalizar dentro da grande área.

– É uma final em dois jogos, e o Atlético-MG tem a vantagem de dois empates. A estratégia (do Atlético-MG) foi alterada. O time é o mesmo que o Roger Machado já vinha escalando nos últimos jogos, mas com uma postura diferente. Ele sacrificou alguns jogadores. O Robinho e o próprio Fred participaram menos da partida, já que o Atlético-MG tinha menos a bola no seu campo de ataque. Mas a entrega e a forma como o time se posicionou defensivamente, não permitindo que o Cruzeiro criasse oportunidades dentro da área, era a estratégia que o time queria para o jogo. Agora, o Atlético-MG está a um empate do título (…). O Atlético-MG fez um jogo com uma estratégia definida e acabou sendo mais inteligente e eficiente do que o Cruzeiro.

O narrador Jaime Júnior também destacou a evolução defensiva do Atlético-MG, que nos últimos três jogos (contra URT, Libertad-PAR e Cruzeiro) não sofreu gols. Jaime lembrou que o bom momento do time acontece junto com o retorno do goleiro Victor e quando Rafael Carioca passou a ter a apoio de Elias no setor de marcação.

–  Nos últimos três jogos, o Atlético-MG venceu o URT, Libertad-PAR, pela Libertadores, e neste domingo foi 0 a 0. Não sofreu gols nessas partidas. Pode ser coincidência, mas houve a volta do Victor e a mudança do esquema, que deixou de jogar apenas com o Rafael Carioca dando proteção ao sistema defensivo. O time passou a jogar com Rafael Carioca e o Elias.

A segunda partida da final será domingo que vem, às 16h (de Brasília), no Independência. O Atlético-MG, por ter feito melhor campanha na primeira fase, joga por um empate. Para a Raposa, só a vitória interessa. Antes da finalíssima, os dois times têm compromissos por outras competições. Pela Copa do Brasil, o Cruzeiro recebe a Chapecoense, no Mineirão, quarta-feira, às 21h45 (de Brasília). O Galo entra em campo mais cedo, também quarta, pela Libertadores. Às 19h30, enfrenta o Sport Boys, na Bolívia.

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *