Galo acredita até o fim e busca empate com o Inter

Galo acredita até o fim e busca empate com o Inter

Dá para acreditar? O Atlético-MG sempre acredita. Embalado pelo tradicional cântico da torcida no Horto, o Galo achou o gol de empate com o Inter a dez segundos do final do primeiro duelo das oitavas da Libertadores, na noite desta quarta-feira. O chute forte de Leonardo Silva decretou o 2 a 2, tirou o brilho da estrela do colorado Valdívia, mas ainda deixa os gaúchos em vantagem para o duelo da volta, no Beira-Rio.

O embate foi digno da grandeza de uma Libertadores, de dois clubes que, antes da virada do século, pouco reluziam no cenário continental. Desde 2006, todavia, são donos de três títulos do maior torneio da América. O Colorado abriu o placar com Lisandro López logo a um minuto. Douglas Santos empatou rapidamente. Após suportar a pressão, o Inter de Valdívia calou o Horto no segundo tempo, mas o zagueirão artilheiro do Galo aproveitou confusão na grande área e definiu o 2 a 2, quase aos 49 da etapa final.

Agora, o jogo volta será na próxima quarta-feira, às 22h, no Beira-Rio. Ao Inter, basta empatar em 0 a 0 ou 1 a 1. O Atlético-MG precisa vencer por qualquer placar ou empatar a partir de 3 a 3. Um novo 2 a 2 leva aos pênaltis. Antes, os times estreiam no Brasileirão. O Galo visita o Palmeiras em São Paulo às 18h30 de sábado. O Colorado também começa o Nacional fora de casa, contra o Atlético-PR, às 16h de domingo.

Atlético-MG e Inter entraram no gramado um tanto castigado do Horto com mudanças. Carlos cedeu lugar a Thiago Ribeiro no Galo, enquanto Diego Aguirre alterou bastante o Colorado. Ficaram no banco Valdívia e D’Alessandro, entrando o zagueiro Ernando improvisado na lateral e Alex no meio. Assim, fora vedado, ao menos para o início, o duelo tão esperado entre Victor e o gringo colorado, vítima e algoz nos tempos de Gre-Nal.

Mas o Inter tinha outro argentino. Logo a um minuto, Lisandro López encarnou D’Ale e venceu Victor. Não sem antes Marcos Rocha errar feio na defesa, fazendo a bola sobrar para o centroavante, que não perdoou. Um início perfeito para os visitantes, sempre ansiosos pelo gol qualificado. O Galo tentou transformar o baque em combustível. Conseguiu. Aos quatro minutos, Rafael Carioca quase repetiu o golaço marcado no mesmo Independência contra o Colo-Colo.

A bomba de fora da área, no entanto, acertou o travessão. Quem acertou o alvo foi Douglas Santos. Pegou a sobra e, mesmo de direita, superou Alisson: 1 a 1. Minutos depois, Dátolo obrigou o goleiro colorado a trabalhar. O compatriota Lisandro respondeu do outro lado e parou em bela ponta de Victor. Cansou? Os times também. O ritmo intenso do início não se repetiu na segunda metade do primeiro tempo. Mas o clima seguia quente. O árbitro colombiano Wilmar Roldán precisou distribuir cartões, como em Aránguiz, após chute em Dátolo.

Como esperado, o Atlético-MG começou o segundo tempo em franca pressão. Aos 10, Douglas Santos tentou marcar seu segundo gol, mas parou em grande defesa de Alisson. A resposta de Aguirre foi alçar D’Alessandro e Valdívia. O dedo do técnico está afiado. Um minuto depois, D’Ale cobrou falta, Alan Costa escorou e Valdívia, o talismã, o predestinado, empurrou para as redes: 2 a 1, e nono gol do garoto na temporada. Uma vantagem e tanto para o Beira-Rio. Mas que se desmanchou diante da insistência atleticana, sobretudo com Lucas Pratto e Jô. No entanto, quem salvou o Galo mesmo foi Leonardo Silva, com o 2 a 2 aos 49.

Fonte:

cta_finalpost_atletico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *