Blog do Esporte
Campeões do Gelo: entenda esse título histórico do Galo
15 out

Campeões do Gelo: entenda esse título histórico do Galo

Vencer, vencer, vencer! Lutar, lutar, lutar! Entoado a plenos pulmões nas arquibancadas do Mineirão e do Independência, frequentemente também abafando as torcidas locais quando é visitante, o hino do Galo é sempre cantado pelos atleticanos enaltecendo a raça e os feitos históricos do clube. “Nós somos campeões do Gelo” — um desses feitos é de uma época em que o futebol pentacampeão mundial não era sequer campeão e o Maracanazo ainda era uma ferida bem recente, e foi reconhecido tanto por aqui como no velho continente, ajudando a construir a força e o nome não apenas do clube, mas de todo o futebol brasileiro.

Você sabe o que é o título de Campeões do Gelo? Vamos visitar a história do Galo e saber mais sobre essa histórica conquista!

A excursão: rumo ao frio europeu

Em 1950, uma comissão da Federação Alemã de Futebol veio ao Brasil para escolher um clube para realizar uma série de amistosos contra os principais clubes do país. Àquela altura, o Atlético já era o maior campeão mineiro e atual bicampeão, além de ser o único clube do país a possuir um título nacional oficial — o título de Campeão dos Campeões, também presente no hino.

Chegando na Alemanha do pós-guerra no final de outubro daquele ano, a delegação foi recebida pela mídia esportiva local com muita festa, pois o Galo seria o primeiro clube brasileiro a jogar naquele país. Com estádios sempre lotados, o Atlético apresentou um ótimo futebol contra alguns dos mais fortes times europeus da época, enfrentando também os curtos intervalos (alguns jogos ocorreram em dias seguidos) e, principalmente, o rigoroso inverno da Europa.

Ao fim da jornada, o então presidente da Federação Alemã Peco Bauwens homenageou a delegação atleticano, entregando a taça simbólica de “Campeões do Inverno Europeu” ao Atlético pela bem sucedida empreitada, com tão bom desempenho dentro de campo. Já no Brasil, o título passou a ser chamado de Campeões do Gelo, foi parar na letra do hino de Vicente Motta e até poderíamos dizer que o resto é apenas história, mas, graças à massa, não há um atleticano ou adversário que pise em território alvinegro sem ser relembrado constantemente desse feito.

Os Campeões do Gelo

Goleiros: Kafunga e Mão de Onça

Defensores: Afonso, Juca, Márcio Pulit, Moreno, Oswaldo e Vicente Peres

Meio-campistas: Barbatana, Haroldo, Lauro e Zé do Monte

Atacantes: Alvinho, Lucas, Murilinho, Nívio, Vaguinho, Vavá e Zezinho

Comissão técnica: Ricardo Diez (treinador), Dr. Abdo Borges (médico), Dr. Domingos Dângelo e Sra. Celeste (chefe da delegação e esposa), Francisco Américo (jornalista) e Teodora Breickport (intérprete)

Curiosidade: Ubaldo, titular e um dos destaques do time, não viajou com a delegação à Europa. Naquele período ele estava prestando serviço militar no Exército.

As partidas do escrete alvinegro

Entre os dias 1º de novembro e 7 de dezembro, o Atlético enfrentou dez adversários em dez cidades diferentes da Alemanha, Áustria, Bélgica, Luxemburgo e França. No total foram 6 vitórias atleticanas, 2 empates e 2 derrotas.

Atlético 4 x 3 Munique 1860 (ALE)

Atlético 4 x 0 Hamburgo (ALE)

Atlético 1 x 3 Werder Bremem (ALE)

Atlético 3 x 1 Schalke 04 (ALE)

Atlético 3 x 0 Rapid Viena (Austria)

Atlético 2 x 0 Saarebrücken (ALE)

Atlético 2 x 1 Anderlecht (BEL)

Atlético 3 x 3 Eintracht Brauschweig (ALE)

Atlético 3 x 3 Seleção de Luxemburgo (LUX)

Atlético 2 x 1 Stade Français (FRA)

Com 24 gols marcados e 18 sofridos, o saldo foi extremamente positivo para o Galo. Os artilheiros da campanha foram Lucas, Nívio e Vaguinho, marcando 6 gols cada.

Na volta para o Brasil, toda a imprensa nacional destacou o grande feito atleticano, com resultados tão positivos em meio a todas as dificuldades sendo reconhecidos como uma conquista histórica para o futebol brasileiro. O Clube Atlético Mineiro foi homenageado também pela CBD, mas o que mais marcou foi a recepção em Belo Horizonte, algo nunca visto até então, com mais de 50 mil pessoas mobilizadas para receber o Galo e seus Campeões do Gelo!

Gostou de entender a importância do título de Campeões do Gelo? Tem alguma curiosidade a acrescentar sobre esse pedaço da gloriosa história do Galo? Deixe um comentário pra gente aqui no post!

cta_finalpost_atletico

Deixe um comentário?

  1. Luiz 18 de abril de 2022 as 20:23 O seu comentário está aguardando moderação.

    Wellington, vamos lá. Volte ao início e releia com calma.
    Se as dúvidas persistirem, recomendo voltar às aulas de interpretação de texto.

    Responder
  2. manoel pinheiro da costa 31 de março de 2022 as 11:44 O seu comentário está aguardando moderação.

    Sou atleticano fanático sei que não temos muitos titulos porque fomos roubados durantes 50 anos em 80 o brasileirão em 81 a libertadores e o mundial e muitos outros titulos tambem !…

    Responder
  3. andre 26 de fevereiro de 2021 as 13:16

    muito bacana a história mas sinto que esqueceram de um detalhe muito importante, o Galo só tinha um uniforme e como tinham partidas seguidas os jogadores precisavam correr pro vestiario após as partidas para botar os uniformes pra secar.

    Responder
  4. Renato 25 de fevereiro de 2021 as 22:18

    Meu caro, deixa de ser doente! A rivalidade é algo que as vezes deixam as pessoas com dificuldade de entender certas coisas. Eu não vou ficar aqui explicando nada pra um imbecil que parece que tem dificuldade em entender as coisas. Pesquisa no Google aí e para de falar merda!

    Responder
  5. Maria da Conceição Monteiro Guimarães 7 de fevereiro de 2021 as 22:16

    Amei saber a história do campeonato que o meu time do coração o Clube Atlético Mineiro ou Galoo Doido ganhou na década de 50 .
    É Galo, Forte, Vingador.
    Sds. Atleticanas! Sempre.

    Responder
  6. Constâncio 28 de dezembro de 2019 as 18:17

    Por que que o nome do Goleiro era Kafunga mds ?

    Responder
  7. Carlos 13 de agosto de 2019 as 19:36

    Você é burro, ou não sabe ler, não podemos ofender o animal né: “entregando a taça simbólica de “Campeões do Inverno Europeu””.

    Responder
  8. Jules 20 de julho de 2019 as 00:43

    GAAAAALLLOOO!!!

    Responder
    • Isabel Almeida Alves 16 de setembro de 2019 as 00:03

      Galôôôôôôôôôôôôô ???????????????

      Responder
  9. Wellington 23 de outubro de 2018 as 02:39

    História bonita, gostaria de saber quem foi o campeão da edição anterior, e da edição posterior do “campeão do gelo”. Ninguém (nenhum adversário) sabia que tinha algum título em disputa?
    Coisa insana, inventar e fomentar
    Um título que nunca existiu, só para valorizar uma excursão?
    Então vamos enumerar títulos
    Para o santos, Botafogo, Flamengo, Cruzeiro. Porque realizaram várias excursões e nem por isso “inventaram” títulos. E olha que contra grandes times.
    Reparem que vários adversário nem existem mais.

    Responder
    • Jules 20 de julho de 2019 as 00:40

      Wellington, acredito que você não tenha pesquisado mais, e nem se quer lido direito essa matéria, a taça é ÚNICA não a campeão anterior ou posterior, o título não foi inventado, por favor, para de passar vergonha, a taça foi entregue pelo presidente da Federação Alemã pelo bom desenvolvimento e aproveitamento contra os melhores times europeus da época, é uma pena que outros times brasileiros não tiveram a oportunidade de fazer tal excursão a ponto de ser premiado pelo próprio adversário pela boa atuação.
      “Reparem que vários adversários nem existem mais”, gostaria que você me dissesse qual dos times não existe atualmente, e mesmo se não existissem mais, isso não anula o fato deles serem os melhores da época
      Abraço

      Responder