Bruno Soares garante presença brasileira na liga galática

Bruno Soares fará parte de um time de estrelas a partir desta sexta-feira, quando tem início a primeira edição da International Premier Tennis League (IPTL). Com direito a 19 campeões de Grand Slam em ação, incluindo tenistas da atualidade e lendas dos circuitos da ATP e da WTA, quatro equipes disputam a premiação de US$ 1 milhão (R$ 2,5 milhões) e o título da competição, que passará por quatro cidades na Ásia. A primeira parada é Manila, nas Filipinas, até domingo. Depois a liga vai para Cingapura (2 a 4 de dezembro), Nova Deli, na Índia (6 a 8 de dezembro), e por fim Dubai, nos Emirados Árabes Unidos (11 a 13 de dezembro).

Bruno Soares foi selecionado por uma espécie de draft com os tenistas que firmaram um pré-contrato com a IPTL, projeto criado pelo indiano Mahesh Bhupathi, dono de quatro títulos de Grand Slam em duplas. Marcelo Melo também estava na lista, mas não entrou em nenhuma equipe. Nesse draft, as quatro franquias gastaram até US$ 10 milhões (R$ 25 milhões) cada para formar os plantéis. Os jogadores foram selecionados pelos proprietários dos times como num leilão, com o dono da maior proposta garantindo a contratação do atleta. A quantia oferecida se tornou o salário do tenista para disputar a competição.

Bruno foi selecionado para integrar a equipe do Singapore Slammers (representa Cingapura), a que mais tem campeões de Grand Slams (entre simples, duplas e duplas mistas): ele, Serena Williams, Andre Agassi, Lleyton Hewitt, Daniela Hantuchova e Patrick Rafter. Completam o time Tomas Berdych e Nick Kyrgios.

Ausente da lista de participantes quando os elencos foram anunciados, em março, Roger Federer substituiu Rafael Nadal, que se recupera de cirurgia para retirada do apêndice, no Micromax Indian Aces (Índia). O recordista de títulos de Grand Slam (17) em simples faz parte da mesma equipe que Pete Sampras, dono da segunda marca (14) empatado com o espanhol. Gael Monfils, Ana Ivanovic, Sania Mirza, Rohan Bopanna e Fabrice Santoro também formam o plantel indiano.

É uma equipe muito forte e pode ganhar (a IPTL). Sem dúvida vai ser muito bonito de ver Federer e Sampras jogando na mesma equipe. Isso é um sonho de muita gente. Mas eu não colocaria nenhuma equipe como favorita, até porque são cinco jogos (sets), somatória de games, há um contexto completamente diferente do que a turma está acostumada. Muita coisa pode acontecer – avaliou Bruno Soares, por e-mail.

Número 1 do mundo, Novak Djokovic faz parte do UAE Royals (Dubai). O sérvio tem a companhia de Caroline Wozniacki, Malek Jaziri, Nenad Zimonjic, Goran Ivanisevic, Kristina Mladenovic e Marin Cilic. O britânico Andy Murray está no Manila Mavericks (Filipinas), junto com Jo-Wilfried Tsonga, Kirsten Flipkens, Daniel Nestor, Carlos Moyá, Maria Sharapova e Treat Huey.

– Por esse torneio ser fora de temporada, os jogadores vão encarar com muita seriedade. O mundo inteiro vai estar de olho agora. É uma época do ano em que há pouca coisa acontecendo, então esse tipo de evento geralmente tem bastante atenção. E pela concentração de grandes estrelas, ninguém vai querer perder. Também não é só a repercussão, outro motivo é pelo compromisso de você ser contratado por uma equipe, sabe do investimento que está sendo feito por essa equipe e acho que as pessoas querem fazer o melhor e ajudar essa equipe a vencer. Quando junta aquele espírito de equipe, todo mundo quer vencer, todo mundo quer contribuir – garantiu o brasileiro, atual número 10 do mundo em duplas.

O Singapore Slammers, de Bruno Soares, faz a partida de abertura da IPTL nesta sexta, às 6h (de Brasília), contra o Micromax Indian Aces, que ainda não contará com Federer e Sampras, em Manila. Às 9h30, o Manila Mavericks, de Murray e Sharapova, e o UAE Royals, que ainda não terá Djokovic, completam o primeiro dia de disputas.

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *