Bahia lembra acesso de 2010 para impulsionar campanha em 2016

Bahia lembra acesso de 2010 para impulsionar campanha em 2016

Dentro de campo, um time sem confiança, com o desempenho refletido nas seis derrotas nos últimos sete jogos da Série B do Campeonato Brasileiro e 11ª posição na tabela, a sete pontos do G-4. Fora das quatro linhas, um clube que enfrenta mudanças forçadas, com demissão de preparador físico e de gerente de futebol, saída de jogadores e busca por reforços. Com o sonho do acesso à Primeira Divisão em risco, é notório que o momento do Bahia só poderia ser turbulento e de crise. Mas, de fato, com o campeonato na 15ª rodada, há motivo para tanta preocupação? Se olhar para o passado, a depender da perspectiva, é possível ser pessimista e otimista ao mesmo tempo.

Pelo lado mais otimista, basta observar a última edição da Série B do Campeonato Brasileiro para perceber que, nem sempre, o que é visto nas 15 primeiras rodadas se concretiza ao final da competição. Em 2015, Botafogo, Santa Cruz, Vitória e América-MG conseguiram o acesso à Série A. Destes quatro, o Santa, vice-campeão da edição, estava em 9º lugar na 15ª rodada do campeonato, apenas duas posições acima do Bahia de agora, que é o 11º.

Mas se o exemplo do Santa Cruz não for suficiente para animar a torcida tricolor, ela pode se espelhar em uma outra campanha muito conhecida, a do último acesso do próprio Tricolor. Em 2010, o Bahia subiu para a Primeira Divisão com Coritiba, Figueirense e América-MG. Na 15ª rodada daquela edição, o Esquadrão estava bem distante do topo da tabela, em 8º lugar.

Como quase tudo na vida tem um lado positivo e um negativo, também há motivos de preocupação se forem comparadas as campanhas do Bahia em 2016 à dos clubes que chegaram à Primeira Divisão em 2015 e 2010. No ano passado e em 2010, três dos quatro times que conquistaram o acesso à Série A integravam o G-4 na 15ª rodada. Só estavam fora o Santa Cruz, em 2015, e o próprio Tricolor, em 2010.

Além disso, mesmo fora do G-4, o Santa do ano passado e o Tricolor do acesso de 2010 tinham, na 15ª rodada, uma campanha melhor que o Bahia deste ano. O primeiro tinha 22 pontos; o segundo, 24; o atual tem 20.

A distância do Bahia para as primeiras posições em 2016 também é maior que a enfrentada pelo Santa Cruz em 2015 e do próprio Tricolor em 2010. Após 15 jogos feitos, o clube pernambucano estava a cinco pontos do G-4, enquanto o Tricolor de 2010 estava apenas a três do quarto colocado. O Bahia de 2016 tem sete pontos a menos que o Ceará, 4º lugar da tabela.

Agora é correr contra o tempo e aproveitar o calendário para diminuir a distância para o grupo de acesso. O Tricolor entra em campo nesta sexta-feira contra o lanterna da Série B, o Sampaio Corrêa, pela 16ª rodada da competição nacional. E vai a São Luís revigorado, depois de passar seis dias dedicados apenas a treinamentos em Porto Seguro. No mês de agosto, o técnico Guto Ferreira ainda vai contar com um intervalo de 20 dias na tabela para realizar apenas treinamentos, de olho no acesso à Primeira Divisão.

Fonte:

cta_finalpost_bahia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *