Conheça a história do primeiro gol de bicicleta

Conheça a história do primeiro gol de bicicleta

Um dos lances mais bonitos e difíceis que um jogador pode executar, a bicicleta é um recurso que une qualidades como bom tempo de bola, elasticidade e explosão. Não é exclusividade dos grandes craques, mas é preciso raciocinar rápido, antever a jogada se desenhando, ajeitar o corpo, pedalar — como manda o figurino — e soltar o pé, tudo isso em pouquíssimos segundos. Quando pega na veia, se vai no gol não tem goleiro que segure!

Leônidas da Silva foi o autor do primeiro gol de bicicleta, em 1932, no Rio de Janeiro. Foi um jogador brilhante, jogou duas copas do mundo e foi campeão por todos os grandes clubes que defendeu, mas a jogada que consagrou seu nome foi executada com a camisa do Bonsucesso, em partida contra o Carioca.

Quer saber mais sobre a história de Leônidas da Silva e do primeiro gol de bicicleta da história? Continue lendo que vamos contar neste post!

A invenção do lance e o primeiro gol de bicicleta

Além de uma controvérsia criada pelo paulista Petronilho de Brito, chilenos, argentinos e italianos também reivindicam para compatriotas a invenção da bicicleta. Porém, mesmo com qualquer erro de registro histórico possível, é inegável que a jogada foi eternizada por Leônidas da Silva. Ainda que em países de língua espanhola, por exemplo, seja chamada de “chilena”, Leônidas fez seu primeiro gol assim quando tinha apenas 19 anos, dois anos antes de começar sua carreira internacional com a primeira convocação para a Seleção Brasileira.

Leônidas continuou a jogar em altíssimo nível, desfilando sua grande classe pelos gramados durante toda a carreira. Consolidou sua paternidade sobre a bicicleta muito graças à execução do lance na Copa de 1938, na França, gerando espanto e admiração em todo o mundo, dos que viram aos que ouviram a respeito.

A carreira de sucesso de Leônidas da Silva

Após seu início pelo Bonsucesso, Leônidas se transferiu para o Peñarol do Uruguai em 1934, onde jogou muito pouco, prejudicado por lesões. Voltou ao Brasil para defender o Vasco da Gama e logo foi campeão carioca com o clube nesse mesmo ano. Transferiu-se para o Botafogo no ano seguinte e, campeão carioca mais uma vez, foi jogar pelo Flamengo. No rubro-negro de 1936 a 1941, conquistou outro Campeonato Carioca, o de 1939.

Em 1942, foi vestir a camisa do São Paulo, com ela conquistando cinco Campeonatos Paulistas até 1950. É um dos maiores ídolos da história do clube, tendo vivido lá sua melhor fase na carreira, ainda que a parte final dela.

E foi essa justamente a fase que, em função da Segunda Guerra Mundial, Leônidas da Silva foi impedido de jogar copas do mundo em seu auge e fosse mais conhecido. Disputou o torneio em 1934 e 1938, ano em que foi o artilheiro da competição. Com a camisa amarela, tem a incrível média de 1 gol por jogo, tendo disputado 38 partidas e anotado 38 tentos.

O Diamante Negro

A Seleção Brasileira fez uma grande Copa do Mundo na França, em 1938, alcançando o terceiro lugar. Leônidas da Silva foi escolhido o melhor jogador daquela copa e, durante a disputa, recebeu de um jornalista francês o apelido de “Diamante Negro”. De volta ao Brasil, uma empresa se uniu ao atleta naquela que é conhecida como a primeira jogada de marketing da história do futebol: para lançar um chocolate, até hoje um dos mais comercializados no país, a imagem e o apelido do craque foram utilizados, num contrato que rendeu a ele 2 contos de réis e nada mais.

Leônidas da Silva foi o maior executor de uma das jogadas mais plásticas do futebol. A fotografia dele vestindo a camisa do São Paulo, no ar, dando uma pedalada, é uma das grandes imagens clássicas do esporte. Autor do primeiro gol de bicicleta, foi um dos grandes responsáveis por engrandecer o futebol brasileiro e mundial, tanto pela qualidade dentro de campo como pela forma e regularidade como conduziu sua carreira em uma época crucial em que o esporte deixava de ser apenas uma brincadeira e ganhava os contornos da força que passou a ter ainda no século passado.

Curtiu a história do primeiro gol de bicicleta e de Leônidas da Silva, seu autor? Tem na memória algum gol desse tipo ou algum craque que executou as pedaladas com maestria? Deixe um comentário aqui e conte pra gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *